Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

folhasdeluar

Poesia e cenas do dia-a-dia

folhasdeluar

Poesia e cenas do dia-a-dia

A resplandecência do silêncio

Efémeros abraços resplandecem nas têmporas da primavera

Pródigos tempos nos chegam aos olhos

Intactos como poemas polidos pela terra.

 

Nestes dias o olhar queda-se petrificado

Pela resplandecência do silêncio

Não há limites para a verdura dos campos

Formas e cores adquirem a beleza das utopias

Estamos sós

O paraíso não tem motivos para duvidar da nossa essência

Somos distintos

Abraçamos as folhas dos instantes

Sabemos viver na efémeras flores dos jacintos

Podemos comer na mesa dos esquecidos

E murchar como plátanos subterrâneos.

 

8 comentários

Comentar post