Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

folhasdeluar

Poesia e cenas do dia-a-dia

folhasdeluar

Poesia e cenas do dia-a-dia

Adormecimento

Lá onde todas as almas clamam pela redenção

E onde todos os destinos

Querem atravessar o fantástico pórtico do infinito

Porque há liberdade no sangue das aves

E as calotes polares tremem de medo

Perante o aquecimento das sombras

Lá junto à hera que escuta

As nascentes que alimentam a sede do meio-dia

Há um longo momento em que as montanhas

Se parecem com seres alados

E até onde a vista alcança

Há prata e abismos sobrepostos à saudade

Porém..nas trevas do enigma há uma alma quente

Uma alma que conhece a sombra escarpada do Destino

Como um presságio...ou uma criança que não nasceu

E que espreita por entre o verde da folhagem

A hora celestial em que os homens adormecem.

12 comentários

Comentar post