Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

folhasdeluar

Poesia e cenas do dia-a-dia

folhasdeluar

Poesia e cenas do dia-a-dia

As pálpebras da infância

As minhas pálpebras cerraram-se

Junto ao voo sinuoso das gaivotas

O tempo gravou em mim

O espaço de uma sombra melancólica

Eu...levantei-me

Como quem cai sobre a ousadia de acordar desfeito

Porque também sei que na superfície da esperança

Residem as sombras do amanhã

E mesmo que assim não fosse

E mesmo que no silvar dos sinos

Se sentisse a imortalidade das coisas

E os pensamentos do mar

Desanuviassem a minha fome de alegria

Eu subiria a todas as vertentes do sonho

E descobria no cantar das velas brancas dos barcos

A viagem...o vértice

O paradoxo de ser semente de carne e osso

Que quer correr pelo rubro dos sonhos

Como um corpo despido da acidez dos dias

Que quer vogar na torrente sinuosa de uma imensa ferida

Que cobre a minha memória esfriada da infância...

4 comentários

Comentar post