Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

folhasdeluar

folhasdeluar

Chama

Já não me servia aquela chama

Que ressaltava em cada sonho desfeito

Impercetivelmente...

Foram-me caindo as folhas da surpresa

Como se eu viesse de uma lonjura desconhecida

Os dias tornaram-se numa extensão de mim

Quebrei-me como se mergulhasse num ninho desfeito

O mundo era desenhado a carvão

Negro arrepiante

Fundido-se nas plumas esparsas da noite

Até que um dia...chegaram as flores

E os corvos acordaram-me da letargia

E eu recebi nos olhos...em cheio...

A maior luz que conheci

Então...resguardei-me no voo das andorinhas

Construí a minha exaltação

Plantei orvalhos em cada teia de aranha

E liguei-me à terra como se a habitasse

Desde sempre...

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.