Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

folhasdeluar

Poesia e cenas do dia-a-dia

folhasdeluar

Poesia e cenas do dia-a-dia

Chegará o dia

Chegará o dia em que eu levantarei os olhos

E numa voz cansada de saudades

Direi as palavras que abafam o meu peito

 

Chegará o dia em que a luz

Que declina sob os meus passos

Refletirá a minha imagem

Que arde na sombra de um tempo que partiu

Como se o vento norte soprasse por dentro de mim

Então erguerei os braços

Com a lentidão dos dias cingidos

Ao meu corpo gasto

Então... serei a límpida imagem

De um corpo recluso e náufrago

O espelho descontente

A lembrança que foge ao declínio da sua luz

Discretamente... serei a moldura desenquadrada

Que fugazmente procura o repouso das águas

Ou...a janela que se abre para o cais solitário

Onde os sons são cristalinos

E o voo das gaivotas

É uma fugidia ilusão de vida

Por fim...baixarei os braços.

8 comentários

Comentar post