Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

folhasdeluar

folhasdeluar

Deito-me rente ao mar..

85766.jpg

No caminho da memória escolho beber o sono

Entre os dedos o ar corre sôfrego...amor e solidão encontram-se nesta praia deserta

Na boca sente-se a ausência dos olhos cintilantes...o tacto devora o vazio

Afinal...basta-me inventar o teu corpo de cidade submersa

Basta-me beber o teu sono..que não sei onde dorme mas que permanece em mim

Invento também a chuva e a erva verdejante onde bebemos o orvalho das manhãs

Deito-me rente ao mar...como uma folha seca que passa pelas ruínas da solidão

Ouço uivar as rosas...ouso abrir os olhos e encolho os dedos...

Cravo-me...com unhas latejantes

Volto ao início doutra cidade..para te encontrar de novo

E para te dizer...que os fragmentos do que fomos ainda me acompanham...

 

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.