Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

folhasdeluar

folhasdeluar

Delicadeza...

Sonhava destilar o corpo das rosas

Só para saber se davas por isso

Só para sorrir da demência das noites

Só para saber se cantavas

Na delicadeza estrutural de uma manhã pura.

 

Uma suave agonia espalha-se na sombra de Deus

Uma mão ergue-se por dentro da ilusão

As ruas têm a suavidade dos sinos

A morte respira pelo sangue das lágrimas

A melancolia apodrece sobre as rutilâncias da carne

E as crianças entoam sinistros cânticos de embalar

Como se fossem flores a explodir

Nas cordas de um contrabaixo.

 

Que estalem as visões

Que Deus adormeça numa redoma de seiva

E nós...pobres seres fundamentais

Lavemos os sexos nas penumbras caídas da noite

 

O espírito dos campos ergue-se pelas colinas escarpadas

Tudo o que sei...

É que o açafrão se alimenta das papilas dos homens

E a cinza vive da infelicidade do fogo.

8 comentários

Comentar post