Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

folhasdeluar

folhasdeluar

Dilúvio

De longe chegam-me os ecos da noite...ruas crepusculares...tímidas palavras

As lágrimas há muito tempo se quedaram dentro da primavera

Anos de coral afloram pela cortina lenta dos dias

Sei de cor o nome das tempestades...

Conheço a vida que se cruza comigo em cada esquina

O mundo silencioso das ramadas em exaustão atinge-me dentro do peito

Forte... assim ...como um aluvião de sentires...

Como um prolongamento do canto minucioso das águas

Ou um nevoeiro que se ergue nas encostas escarpadas do rio

Relâmpagos de infância cruzam os ares

As mãos são raios de luz que crescem em desmesurados ângulos rectos...quebrados

Como coisas sem importância...como suspensões de vãos ocasos...lentos...perdidos..

Na forja milagrosa da manhã..na palidez da ventania...

No dilúvio de ser apenas... aroma de gente...infinita...