Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

folhasdeluar

Poesia e cenas do dia-a-dia

folhasdeluar

Poesia e cenas do dia-a-dia

Discurso sobre a Servidão Voluntária -final - dedicado a Alexei Navalny

cravo2.jpg

Neste florido mês de Abril, nesta Europa e neste Portugal onde a extrema direita ganha terreno, vou transcrever partes do mais belo livro jamais escrito sobre a liberdade.Trata-se do Discurso sobre a Servidão Voluntária, escrito por Etienne da La Boétie (1530-1563) e dedicado a Alexei Navalny e a todos os que lutam e lutaram contra as ditaduras. E é assim:

(final)

"Uma coisa é claríssima na natureza, tão clara que a ninguém é permitido ser cego a tal respeito, e é o facto de a natureza, nos ter feito todos iguais. Ao fazer as partilhas dos dons que nos legou deu, mais a uns que a outros, certos dons corporais e espirituais; mas é certo que não pretendeu pôr-nos neste mundo como em campo fechado. Essa boa mãe deu-nos a todos toda a terra para nela morarmos, albergou-nos a todos numa mesma casa, moldou-nos a todos na mesma massa, a todos em comum outorgou o dom da voz e da palavra para sermos mais amigos e mais irmãos e, pela comum e mútua declaração dos nossos pensamentos, estabelecermos a comunhão das nossas vontades.

E pois ela buscou por todos os meios apertar e estreitar mais fortemente os nós da nossa aliança e sociedade, e por todas as formas mostrou mais desejar ver-nos unidos do que unos, não há dúvida de que somos todos companheiros e ninguém poderá jamais admitir que a natureza, integrando-nos a todos numa sociedade, tenha destinal alguns para escravos.

Não importa verdadeiramente discutir se a liberdade é natural, provado qque esteja ser a escravidão uma ofensa para quem a sofre e uma injúria à natureza que em tudo quanto faz é razoável.

 

1 comentário

Comentar post