Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

folhasdeluar

folhasdeluar

É mesmo por aqui que vou!

É mesmo por aqui que vou!

Por esta atávica rua onde perpassam espasmos de bolor

E corpos de suor...

É mesmo por aqui que vou!

Por dentro do esquecimento onde os nevoeiros se fixam

Em versos de poetas...

É mesmo por aqui que vou!

Por dentro da imortalidade dos plátanos

Pelo desmoronar das queixas

Pela desordem dos ventos

É mesmo por aqui que vou!

Pelo supremo delírio da escuridão

Pelo apodrecer dos raciocínios

Pela suprema asfixia dos séculos

E por tudo aquilo que apodrece no meu destino.