Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

folhasdeluar

folhasdeluar

Encantamento...

Felizes dos que brutalizam as noites

E não adormecem em sombras moles

Felizes dos que procuram o assintomático destino

Vagueando sem pressa num sol de corais

Felizes os que por quase nadas se despedem dos exílios

E por amor provam a água da paixão

Felizes os que concebem em si todas as manhãs

E absorvem o mundo nos seus poros

Felizes dos que se enfeitam com grinaldas

E lançam sementes ao fulgor da melancolia

Felizes dos que se despedem do que não eram

E se iluminam com cânticos de átomos sem nome

Felizes dos que não se preocupam com os sonetos do silêncio

E bebem pela malga dos risos e dos rios

Esses descobrem um areal em cada passo

E enchem a terra com olhos perfumados

Não se preocupam com o vazio das palavras

E todos os dias despertam para a intensidade da chuva

São como corais de sangue vivo

Disfarçados sobreviventes das flores

São como escorreitos caos

Que vivem sem pretextos nem mágoas

Sobreviventes aos dias alucinados...

Mas encantados...sempre.

Felizes dos que se erguem como anjos

E de pé enfrentam o vitral dos dias!

12 comentários

Comentar post