Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

folhasdeluar

folhasdeluar

Escutei as lendas que contavas...

Passei pelos gestos..pelas cores..e deixei para trás os retratos

Embarquei num eco feito de estátuas

Aprisionei os barcos e tirei proveito da infindável solidão dos pauis

Ainda hoje vejo as formas e as razões que o tempo carrega

Tempo aberto ao riso das viagens...aos ossos que carrego como uma bagagem

Ao súbito sentir dos ventos e ao rumo das areias

À força inesperada da solidão..ao corpo e ao sentir dos espelhos

Queria relatar a força das flores e o secreto abandono das medusas

Passei pelas algas e cresceram-me os instantes

Magoei a visão nostálgica dos dias..saltei com as corças e voguei pelos teus olhos

Enigmáticos sons imitavam o teu sorriso...debrucei-me sobre a tua boca

Escutei as lendas que contavas...como velhas fábulas cheias de luminosa paz

Mas não esqueci a esparsa ausência dos teus sinais

E por breves instantes desci aos longínquos dias

Onde a brancura cristalina dos corais me falava de extensas ilhas

Que o incerto mar deixava conhecer

E que eu bebia como uma luz que atravessava os recônditos lugares...

Onde possivelmente te encontrarias..

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.