Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

folhasdeluar

folhasdeluar

Esferas

Encosto-me ao sono das janelas

O vento trás-me o adeus das folhas amarelas

Na frescura da insónia florescem peixes  sem tempo

Pela brisa perpassam solitários dedos

E o sangue do sono persegue o silêncio prateado da luz..

Que chega da rua.

 

Há um sopro de frescura a dançar nas janelas

Uma claridade de tília a embranquecer as horas

Os olhos marcam a noite como passos na areia

Mal os ergui e já a infância se extinguiu

Agora vogo na nostalgia da bruma que dança …

Nas asas das algas.

 

Sou a dança e a fonte perdida

Sou o nítido cavalgar da vida

Embalo horizontes...esculpo esferas

Imito o colo da Terra...

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.