Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

folhasdeluar

folhasdeluar

Esfinge

Roça por mim o arrebatamento de um dia que me divide

É tarde..demasiado tarde para desistir do tédio

Na densidade das coisas sinto o respirar do coração

Como uma janela que se fecha sobre si

Espero o vão despertar das aves...ociosas

Convidando-me a rir como se habitasse um quarto sufocante

Antes que do fundo da noite a realidade se erga

Antes mesmo que o vazio gele nas gotas do orvalho

Fecho os olhos à humidade gasta da solidão

E entro nos dias...pé ante pé...

Como se habitasse a fímbria de uma frígida fresta

Aberta numa lonjura de esfinge

Que acorda na minha constelação de noites...

Nebulosas....

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.