Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

folhasdeluar

folhasdeluar

Fala-me do mundo

Fala-me do mundo e da vida que se consome na chama dos espelhos

Fala-me dos espessos veios do silêncio

E das palavras que golpeiam o voo das aves

Ou fala-me simplesmente do teu sopro adormecido

Junto a mim...

 

Percorro a vastidão da folha onde as silabas se dispersam

Como se fizesse uma viagem aos confins do mar

Pressinto um enigma em cada letra...

Persigo um enigma em cada frase

Enquanto os rostos das folhas se fecham por dentro da manhã.

 

Na embriaguês da alma geme uma imensa lâmpada

Invade-me a lividez áspera do céu

Enquanto navego na cinza das estrelas cadentes

O meu corpo sente as cordas que o atam ao húmus da cada enigma

Descobrindo caminhos em cada medo

Que crescem como folhas de luz...

Exaradas nas madrugadas que despontam em cada vulcão.

 

No sal do grito ressalta o frio da melancolia

A primeira luz da pele percorre o arrepio do tédio

Curvo-me ante o fogo das lágrimas

E o caminho fácil do abandono

Que permanece..submisso...

Em cada recanto de mim.