Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

folhasdeluar

folhasdeluar

Farol

 

Levanto-me..dói-me a aceitação do dia

Sou um farol na ponta de um paredão dormente

Há sempre um outro a escorrer de mim

A alastrar como rugas na minha pele seca

Ou como uma mancha perdida que rasga o quadrante da minha sombra

Ocasionalmente ocorre-me uma afasia de espanto

Como uma chuva do acaso..sinto cheiros...cores

Coisas simples que me assolam como restos de tempo

Iluminado pelo clarear do assombro

Sobre a mesa tenho fotos inchadas pela lenta resistência das vidraças...

Quebradiças como olhares que preguiçam no leme dos dias

Olho a insensatez desses dias...está tudo ali

Como um desejo impiedoso...gravado na carne extinta da luz

Por fora pessoa...

Por dentro irrealidade e espanto afogados numa letargia de sonho

Salpicos de dias..desgrenhar de vozes

Marés abertas aos rochedos do frio

Abrigo de gelo onde nada acontece

E onde o vento passa...

Roçando-se pela respiração da minha alma...

Que se solta num silêncio de véu encoberto...

Pelo imprevisível corredor dos dias...

 

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.