Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

folhasdeluar

folhasdeluar

Florescer

Na hora em que o sol abre uma ferida nos olhos

E os contornos da luz lembram a voz dos ausentes

O vento sopra com o som de pássaros metálicos

Lambendo as nossas feridas silenciosas

Que florescem nas hastes da lua.

 

No muro da noite...assentam as sombras que nos tecem

O corpo é uma raiz a pedir silêncio

A pedir que os nossos fantasmas adormeçam sem nós

E que os musgos que nos tolhem sejam desfeitos

Pelos longos naufrágios que nos sustêm.

 

1 comentário

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.