Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

folhasdeluar

folhasdeluar

Homens....e nada mais!

E nós ...os que vamos por aí de mão dada com a vida como crianças que vão para a escola

Aquecendo os nossos corpos com o sol que nos queima os olhos

Não sabendo que dia nos escapa pelas mãos cobertas de salmoura

Nem perguntando ao amanhã que trilho devemos percorrer

Olhamos a nostalgia com um divertimento de bêbados.

 

De nós...pingam atraentes verdades e falsas filosofias

Deixamos o riso correr pelas esquinas do coração

Comendo e bebendo os mistérios que o fogo encerra

Como se nos olhássemos a um espelho feito de falso vidro

E que à socapa nos deixa transparecer fios de alma em cada ruga deslavada

 

Caminhamos...somos pessoa educadas que deixam passar primeiro a vida

Depois...

Fechamos a porta que nós próprios abrimos e vemos um velho sentado numa pedra

Esse velho pertence a um remoto tempo que se libertou do inverno

E é agora um véu de fumo a encadear o caminho dos outros cidadãos

É agora uma antiga asa de borboleta descolorida...uma coisa...se assim se pode dizer

 

Há certas paisagens que nos caem nos olhos como se desenterrássemos a nossa alma

Alguém que acha que os caminhos são inúteis e que bastava haver apenas um

Onde o próprio vento falasse de primaveras inacabadas e verões de cal

Lavando as searas e fazendo-as respirar o calor amorfo de um tempo que nunca acaba

Disse-me que bastava haver um pássaro colorido em cada espiga

Para que o mundo tivesse o tamanho que cada um lhe quisesse dar

E que os seus sonhos são escarlates...

Como se fossem gerados por um deus arrependido

De nos ter deixado cair na tentação de sermos homens....e nada mais!