Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

folhasdeluar

Poesia e cenas do dia-a-dia

folhasdeluar

Poesia e cenas do dia-a-dia

Já não sei falar!

Por mais que pense em enfeitar a noite

Por mais que queira tocar o nada

Descubro sempre um geométrico vazio

De uma vaga lágrima a fingir de flor.

 

E sinto na pele uma confusão de chamas

E sinto na vertigem um letal equilíbrio

As pedras são feitas de absurda seda

O meu corpo é uma frase...uma ideia...um sonho

Um irreal encontro com um irreal suspiro.

 

Com garras de sol agarrei o dia

Mecânicos desejos a vogar no espaço

Majestoso enigma de fulminante verdade

Já não há crepúsculo

Já não há relógio

Onde possa pendurar o estampido

Da realidade.

 

Ao longe passa uma densa barca

As luzes acendem-se...os meus olhos calam-se

Escuto o respirar do mar

Escuto a sua indistinta fala

E eu já não falo

Porque eu...

Já não sei falar!

1 comentário

Comentar post