Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

folhasdeluar

folhasdeluar

Lagos de sedas

Entre o caos e o tempo há um sinal

Uma neve que refulge em cada dia

Sob a nossa capa de terra original

Sob a nossa breve maresia

Levantamos a noite como um sol

Levantamos a noite como um dia.

 

Tudo em nós se acaba

Tudo em nós começa

Tudo se destapa

Em tudo se tropeça.

 

Amargo peso...amarga aurora

Lembrar que a noite escorre...

Pela vida fora.

 

Decerto somos mundos

Incertos somos pedras

Desertos somos séculos

Despertos somos fundos

De lagos envoltos em sedas.

 

Começar já hoje a subir a solidão...

Trepar pela ilusão...

Colidir com a chuva e com o vento...

Acenar ao tempo

Sem mão.

10 comentários

Comentar post