Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

folhasdeluar

folhasdeluar

Lonjuras

Trago na minha lonjura manhãs e desertos

Trago vulcões...trago noites...

Trago dentro de mim um país...assombrações

E incautos momentos...despertos.

Trago palavras nuas...ternuras...

Invento flores...acordo os medos...

E estrangulo fantasmas

Invento sonos como quem se passeia sobre fios de espada

Sepulto os meus gritos na humidade da terra

Celebro missas com gestos de astro baço

Tenho a minha própria poeira...privada

Aquela que me cobre como uma capa que geme

Aquela que me diz que dentro de mim vivem beijos

E absurdos...e corpos nus...

E toda a amálgama de risos finos

Onde incautas flores...desabrocham!

 

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.