Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

folhasdeluar

Poesia e cenas do dia-a-dia

folhasdeluar

Poesia e cenas do dia-a-dia

Mundo rasgado

Se a boca te sabe a um silêncio gasto e frio

Lembra-te que há sempre uma neve a derreter

Lembra-te que trazes nos olhos a cósmica desolação da noite

Mas podes sempre regressar ao tempo das estrelas

Podes sempre brilhar na íntima florescência da solidão

E não há ninguém

Que te encontre na distância dos astros

Na sôfrega partilha dos gestos

Na ansiosa imagem do alvorecer dos rios

Porque tu persegues a distante insuficiência das imagens

Que te aterrorizam...como gaivotas negras

A sobrevoar a tua alma de presente sem futuro

A planar no requebro do corpo

A procurar em ti o sangue

Que não queres derramar

Mas olha esse barco feito com a força das mágoas

Esse barco cujas velas vencem o vento

E que nunca se dobram à passagem do terror

Porque tudo o que te acontece

É o destino a derramar futuros

É a vida a evocar o teu corpo

É distância a perguntar por ti

São as leis da força bruta que tens que vencer

Para que não te arrastem para os insondáveis abismos

De um vasto mundo rasgado...

10 comentários

Comentar post