Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

folhasdeluar

Poesia e outras palavras.

folhasdeluar

Poesia e outras palavras.

Na folha angustiada do papel colho o estado sólido da alma

Por cima de mim há um jardim feito de dedos magoados

Há um reflexo de flores bravias..que se erguem na convecção polposa das lágrimas

Os meus pés flutuam num rio desgastado pelo tempo magoado dos musgos

Frio e brilho..seca e sangue...artífice de imagens insólitas...poço em desordem

Insónia de matéria em decomposição...merda derramada por imaculados astros

Na folha angustiada do papel colho o estado sólido da alma

Sento-me no corpo assombrado da magnólia..sou o meu berço..o meu relâmpago

Sou a magnífica misericórdia da tempestade..o exaltado artífice das formas impossíveis

Busco nas ruas a espectacular alvenaria das pessoas

Perco-me perante a floração dos lírios e dos dias...bebo fábulas...

Sou a metáfora de um corpo desnecessário..insano...

Que resvala pelas colinas encantadas da gravidade

Como um olhar sem peso nem objectivo...

Cometa..asceta...parede invernosa

Rio-me dos voos impressentidos das aves..perco-me nas feridas das ruas

E na vénia dos poemas..vivo...como uma espada vertical...gume acerado ao tempo

Solo desnudo..paisagem fecunda

Na manhã dos sentidos....pouso a cabeça...acordo a ausência..retenho os rios

Sou o escasso frenesim dos sismos..o leque das palavras vivas

Possuo o vocabulário desarmonioso dos ventos..enfim...

Sou um satélite de mim...