Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

folhasdeluar

folhasdeluar

Num outro tempo...

Quando nascemos...não sabemos que há sempre um outro tempo dentro de nós. Não sabemos que um dia seremos órfãos. E que a vida é um divagar de máscaras. Um dia...afastaremos as lágrimas como quem quer ver o mundo. Acordaremos em ríspidos travesseiros desiludidos. E afagaremos a nossa saudade com imensas memórias feitas de espelhos partidos. Lembraremos o que não perguntámos. Não nos lembraremos do que não nos perguntaram. Com ousadia...atiraremos ao vento todas as formas afectuosas. Todos os carinhos. Só para acalmar a nossa insónia. Estaremos partidos. Mas na nossa complexa teia de sentimentos estará a tecedeira alma a avisar-nos do emergente espectáculo da vida. Suspeitamos então...de que tudo faz sentido. De que todas as rosas dos ventos nos esperam. E que a nossa caixa de vidro é feita de um tempo sem retorno. Parti-la é essencial. Assim como é essencial apagar o formigueiro que nos corrói. Depois...começaremos...ousadamente...a perceber que a primeira vez que nos vimos à luz do tempo...foi quando percebemos que já cá não estamos. E que já vivemos num outro tempo. Numa outra face. Numa outra atmosfera. De paz....

2 comentários

Comentar post