Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

folhasdeluar

Poesia e cenas do dia-a-dia

folhasdeluar

Poesia e cenas do dia-a-dia

O concerto do silêncio

Um dia, num templo budista da China,Nicos Kazantzaki** assistiu a um concerto silencioso.O maestro esboça o gesto de bater palmas, mas as mãos param antes de se tocarem. É o sinal de abertura desse espantoso concerto mudo.Os violinistas levantam os seus arcos e os flautistas levam os instrumentos aos lábios, à medida que os seus dedos se deslocam sobre os furos. Silêncio profundo...é como se se tratasse de um concerto que decorre ao longe, do lado das sombras, na outra margem da vida, de que contudo vemos os músicos a tocar num silêncio impávido. Acabado o concerto Karantzaki interroga o seu vizinho, sorrindo, o homem responde-lhe:"Para ouvidos treinados o som é supérfluo.As almas libertadas não precisam de acção. Aqueles monges fazem apelo a uma audição interior, que exige uma educação e uma pureza de espírito que não se obtém de imediato. Nestes concertos cada qual escutava o que ia dentro de si, e aquilo que ouvia ninguém saberia repetir.

**Nicos Kazantzaki -  Du Mont Sinai L´ile de Vénus