Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

folhasdeluar

Poesia e cenas do dia-a-dia

folhasdeluar

Poesia e cenas do dia-a-dia

Os bons e os maus professores.

Segundo uma sondagem, (claro que não é regra geral), os piores alunos do ensino superior, são os que vão para professores. E porque é que vão ensinar? Porque simplesmente a sua média académica não lhes permite competir no mercado de trabalho com aqueles que têm melhor média final.Não quero com isto dizer que não existam professores que o são porque querem mesmo sê-lo, porque gostam de ensinar  e que acham que o ensino é parte integrante da sua natureza. Com base neste raciocínio,o texto que se segue é uma transcrição de Ghazal Omid,(escritora iraniana exilada no Canadá), do livro onde conta a sua história de vida - Viver no Inferno - que o escreveu comparando os bons e os maus professores que tinham passado pela sua vida de estudante.

"O que separa um professor excelente de um medíocre, é a sua intuição, inteligência, e, acima de tudo, intenções. O bom professor é como uma chuva celestial que ajuda a germinar as sementes do conhecimento no terreno inexplorado da psique do estudante. Um mau professor é como a chuva ácida, que destrói qualquer potencial de maior crescimento, e que afogará a curiosidade nas lagoas da ignorância. o fosso entre os dois professores é mais profundo que o Grand Canyon e mais largo que os oceanos Pacífico e Atlântico juntos."

Nota: este texto não pretende atacar os bons professores, mas pretender despertar os maus, para os malefícios que o seu ensino trás às crianças que os têm como educadores.