Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

folhasdeluar

folhasdeluar

Os fragmentos dos dias.

Caminha a direito pela estreiteza das pessoas. Caminha a direito por dentro dessa tua noite gótica...onde brilham restos de fantasmas cristalinos. Aprende a sussurrar como quem escuta um pássaro. Ausenta-te de conspirações e sonha com um belo vinho. Não entres em pânico. A vida é um perfeito e fascinante teatro. É um sufoco de música. É um ultimato. E se falhares...lembra-te de te deslumbrares. De acreditares em ti. De sentires que és uma raiz. Um incrível devaneio. E que também podes ser uma conversa inconveniente. Um desabafo medonho. Uma fechadura. Agarra o teu papel. Descobre o teu talento. Perde-te na onírica dança da vida. Recita os versos de um poema estranho. Enquanto a lua...tropicalmente... te embala a suavidade do olhar...

 

Tu és o teu próprio hypomnemata. O teu próprio livro. A tua própria condição. Tu és o teu tesouro. Tens um ciclo. A tua cólera. O teu defeito. Tens o teu reino. A tua função. O teu descabimento. Combate as aflições do tempo. Desperta. Circula. Talha o teu sonho em pedra branca. Bebe a tua  seiva. Senta-te no teu mel. E não estranhes se os outros te virem...como quem não se preocupa com os fragmentos dos dias.

10 comentários

Comentar post