Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

folhasdeluar

folhasdeluar

Palavras soltas #12

Sou o fraco fogo imerso nos espinhos das vozes

Copio as noites... em versos distendidos...

Vale a pena ser ave? Vale a pena ser muro?

Se no fogacho da pedra se descreve o futuro

E nos taipais do vento...jardins e florestas...

Dormem sonos soltos...beijam-se as arestas...

Florescem as giestas

 

Vale a pena alcançar os ramos dos pássaros

Descortinar paisagens...alvoroços de prumos...

Neve..flor viçosa..espaços sem rumos

 

Compridos ventos..taipais de marés...magros sopros lentos

Asas de absinto..andaimes de penas

Desejos de anjos rubros...cavalos de rosas

E o lume...o vento... o perfume das falas

Roubaram-me os medos...esvoaço em balas.

 

No meu corpo de areia...bailam mil cristais

Basto fumo opaco...gargalhada de hora

Atravesso a rua...escondo a sombra

Guardo o mundo todo...dentro de um poema

Rápida a minha mão se insinua no tédio

Entrega de vida...vertigem de assédio

 

Pairam beijos virgens..dormem frouxos seios

Eróticas luas...arrastam homens...pelos passeios

Voz de luar louro...voz de linha estreita

Obscuro murmúrio... brincando... no fundo da gaveta

 

E nos campos ermos..e na campa rasa...

Chegamos enfermos..construímos a casa..

16 comentários

Comentar post