Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

folhasdeluar

folhasdeluar

Porque é que não somos melhores?

Porque é que não somos melhores? Porque é que o mundo não é um lugar melhor? Porque não nos ensinaram? Se repararmos, quase sempre um violador é alguém que também foi violado. Essas marcas são feridas que ficam. Essas feridas são profundas. E podemos pensar que se alguém foi violado, sabe qual é a dor. Porque inflige então essa dor a outros? A nossa sociedade não ensina a ser bom. Não ensina a pensar na bondade. Não ensina que todas as coisas acabam. Não ensina a valorizar a simplicidade. Os budistas dizem que tudo é impermanente. E é verdade. Todas as acções são impermanentes. Todas as coisas são impermanentes. A sociedade ensina a luta. O poder. O ser mais que o outro. E não ensina a verdade. Porque tememos a verdade. Porque é que precisamos de mentir? É porque é mais fácil mentir? Dizer a verdade é sinal de fraqueza? É ficar nas mãos do outro? Contudo nada é melhor que a verdade. A mentira não é mais que a falta de confiança no outro. Pensamos que mentindo aparentamos ser mais perfeitos. É um erro. Não o somos. Não parecemos. Somos outro que não nós. Quem gosta de mentirosos? Ninguém! Penso que deveríamos ter na escola  aulas (facultativas) de filosofia budista. Digo budista porque o budismo não é uma religião. É uma filosofia de vida. É a aprendizagem do desapego.  E talvez até na escola primária porque é essa a idade em que se incute nas crianças os valores. Os valores da bondade. Da caridade. Do civismo. Da amizade. Da camaradagem. Do altruísmo. Da civilização.

 

13 comentários

Comentar post