Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

folhasdeluar

folhasdeluar

Se quiseres és capaz...

Se quiseres és capaz de pôr a vida num desejo. De detetar inflexões em arestas impossíveis. O teu tempo é o da safira. Brilhando num azul profundo. Corre. Ultrapassa o teu próprio rumo. E se alguém te perguntar pelas tuas humilhações...diz que nada tens a retribuir. Que toda a tua vida está nos teus passos. E a tua alma é um espesso manto. Uma catedral. E que devoras todos os jogos de palavras...como quem se quer ver livre de si. Trazes incrustações de tédio. O teu sorriso é uma preparação para a noite. O mundo muda. Tu mudas...e encolhes os ombros. Afinal...o que é a mudança? Quantas vezes tens que manter vivo para chegares a compreender-te? Quantas vezes pensaste pôr a tua vida num envelope e lançá-la ao vento? Quantas vezes rezaste a túmidos deuses? Cansados...de ti!

 

Olhas a vida com o espanto de uma brincadeira. Com o entusiasmo de um bêbado . Bates a portas erradas. Ameaças esconder-te no teu apocalipse. Sabes que o fim do mundo é já amanhã. E que o amanhã é um fim de tarde. Uma porta aberta ao medo. Um caminho em ziguezague. Não queres que te avaliem...nem tão pouco que te recitem guerras. Tens dentro de ti as claves da vida. Não usas anéis nem examinas memórias. Esticas o teu arco. Escreves o teu nome...e acertas no teu alvo. Como se fosses membro de uma família de cinzas. Que caem do céu...como lágrimas de pessoas felizes..

6 comentários

Comentar post