Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

folhasdeluar

folhasdeluar

Surrealista

Emito um longo sorriso forçado...

Que retiro de uma caixa de lacre chinês...

E depois de almoçar...visto duas mãos imensas...

E vou para o terraço apertar os sapatos...

Sigo depois pela estrada de macadame em direcção ao chapéu de coco...

Que pendurei na palmeira grande...

Plantada à entrada da minha boca...

Coloco depois o meu grande nariz azul sobre uns olhos lacrimosos..

Que se sobressaltam...

Enervados pelo cumprimento fastidioso do meu fato multicor.

Vou trauteando um verbo...

E enquanto peço a bênção para a minha digestão

Convido-me a sentar sob os braços do carvalho centenário...

Passo em revista os meus incómodos...

Faço uma cerimónia em minha honra...sem formalidades...

E vejo passar uma donzela castanha

Que vai deixando atrás de si um rasto de cinza rosa

Saboreio a minha língua

Que passa pelo céu da boca a fugir atrás de um cometa

E que oferece o seu tempero à flor de laranjeira...húmida...

Depois...como que recomendado por um raio fulminante...

Encosto as minhas preocupações ao vapor da transpiração...

Que ofegante se pensa demasiado esbelta para estar ali...

Por isso... ao pé coxinho...

Parto para dentro das minha costelas...e adormeço!

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.