Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

folhasdeluar

folhasdeluar

Êxtase

Todos os vivos seguem esconjurando o bolor dos cadáveres Em fila...sorridentes...perguntam pelos dias dos outros Amam a ilusão com uma ternura de xisto Perseguem a escuridão com dedos de (...)

Os faróis

Nas belas enseadas mergulhamos as ausências Na prece das tardes afundamos o asco Existimos como ventos expostos aos bafos das praias E vamos...de luz em luz...recebendo o murmúrio das cidades.   T (...)

Nesga de luz

Nesga de luz por onde os barcos passam Azul de todos os azuis Cinza de todos os cinzas Laranja de todos os laranjas Minha janela...minha espera... Minha profundidade.   Imagino no cheiro da (...)

Germinações...

Germina fulgurante sombra...cresce nesse sentir de lua gelada Já não me espera a humidade corrosiva dos dias Já não me arrasto para a cave entumecida Agora perco-me num jardim de rosas estioladas Agora furo o tecto do mundo

Rua de xisto...

  Não sei que rostos me esperam por detrás do espelho Não sei que sombras se movem por detrás dos rostos Mas sei que avanço seduzido por uma esperança Que cai de cada fechadura que se (...)

Abstracções

Atravesso a nado a dureza do rio O sol pesa-me como quando não consigo dizer o que sinto Só me falta transpor o muro e escrever qualquer que não diga quem sou.   Recordo-me do voo ilíquido (...)

Aurora boreal

Densa pedra anunciando o duro poente Fecho o olhos neste cerco de espaço e cal E paro...escondido num descampado de fantasmas Como se as flores não existissem E eu ouvisse o eco dos teus olhos

Absoluto

Também tu me embalas como quem esquece a noite Também tu me enredas nesse cravo apontado ao pensamento Tu meu teorema assombrado...tu minha pele... Tu meu medo e meu segredo.   Na minha orla (...)

Cedências...

Cedo-te o meu tempo e o meu outono Cedo-te a casca de cada árvore onde impera o meu nome Cedo-te os segredos do deserto onde o tempo não tem ferrugem E cedo-te a faca...com que me arrancarás (...)

Sono

E os olhos desfeitos perante a nudez da vida Ergueram-se do seu trono feito de luas leves E sentiram o arrastar dos pés...o desabrochar dos lírios A destruição das pequenas coisas E (...)