Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

folhasdeluar

Poesia e cenas do dia-a-dia

folhasdeluar

Poesia e cenas do dia-a-dia

Vento sem nome

Conheço o ódio das guerras

E os estalos da lenha no fogo

Mas não conheço o que faz os ódios

Pesarem mais que os paraísos

Conheço as tatuagens devoradoras

Que indeléveis nos marcam os dias

Sei que o frio vem do desencanto

E os urros são espasmos do chão... pisado

Conheço a remota glória

Do brilho das jóias apagadas

Sei que a alegria será reinventada algures

Em plena rua..talvez

Conheço os espirros que saem das casas

Sei que as estrelas se põem especadas

Nos beirais dos prédios... desabitados

Conheço a verdade...porque não a conheço

E sei que cada um tem a sua...

Agora que conheço isto tudo

Quero encontrar-me nas espeluncas

Dormir nos lajedos...enterrar-me no frio

Brindar às despedidas da razão

E encontrar os que não se mascaram

Colados ao corpo sagrado de um vento sem nome.

 

6 comentários

Comentar post